Arquivo da categoria: islã

Reconhecer o valor de Muhammad

Meu domingo foi dedicado a um breve mergulho na história daquela que é considerada a “caçula” entre as religiões do livro, o islã. Tirei da prateleira e li de um fôlego os livros “Homens de um livro só”, de Mateus Soares de Azevedo, “O maior perigo do Islã: não conhecê-lo”, de José Tadeu Arantes. Os dois bem curtos e indicados para os primeiros passos no tema ou para refrescar a memória. Agora, sigo na leitura de “O profetá Maomé – uma biografia”, de Barnaby Rogerson, editado pela Record. Creio que este último vai ser bastante importante na minha tarefa de entender um pouco mais sobre esta religião realmente incompreendida. Mas cá entre nos, quase todas são…

Anúncios

Será apenas um blog fora do ar?

De repente, meu pai, que virou uma ‘espécie de estudioso’ da questão palestina, ficou órfão. Ele acompanhava de forma regular o Blog do Bourdoukan, que parece ter sido removido do blogspot. O escritor é conhecido por sua leitura crítica das atitudes de Israel. Será que tudo se acalmou na palestina e ele resolveu simplesmente que não tem mais motivo para escrever? Duvido muito. Se alguém tiver novidades, não deixe de avisar…

Ijtihad e o homossexualismo na maior legião de crentes do mundo

Duas notícias recentes sobre o mundo muçulmano: na primeira, o Vaticano admite em suas estatísticas que os muçulmanos formam o maior contingente de fiéis no mundo, superando os católicos pela primeira vez. De acordo com as estatísticas do Vaticano, 17,4% da população mundial é católica, contra 19,2% que é muçulmana.

Em outra, a Agência EFE distribuiu informação de que um grupo de estudiosos muçulmanos na Indonésia concluiu que o homossexualismo foi criado por Deus, ou Alá. Para líderes locais, é preciso seguir adiante com a “ijtihad”, que é a releitura dos textos sagrados e atualizar sua interpretação diante do mundo atual. (Clique para ler todo o post)

Bento XVI e o jornalista convertido

A conversão de um muçulmano não praticante ao catolicismo ganhou destaque na mídia (Veja na FSP, para assinantes). Foi o próprio Papa Bento XVI quem oficiou a cerimônia na qual Magdi Allam, sub-editor do Corriere, abraçou as insígnias da Santa Sé. Agora, deve reforçar ainda mais sua própria segurança. Antes mesmo do sacramento já havia recebido ameaças por defender o pontífice após a polêmica deflagrada pela palestra na cidade de Regensburg, na Alemanha, que foi vista como depreciativa ao islã e provocou protestos entre os muçulmanos. Na palestra, ele citou a frase de um imperador bizantino do século 15 que criticava Maomé por expandir “pela espada” a sua religião.