Arquivo da categoria: dilemas pós

Em nome da fé, jovem corte pênis e mão

Página do Cosmo Online

Página do Cosmo Online

No domingo de eleição, um jovem de 22 anos, em Campinas, cortou o próprio pênis e a mão direita. Eu soube primeiro pelo site Cosmo Online. O caso repercutiu, principalmente nos veículos de apelo mais popular, como o Diário de S. Paulo, que informou que o jovem teve o pênis reimplantado com sucesso. Entretanto, a mão não pode ser salva. Aliás, consta que ele buscava mesmo era salvação para a alma com o gesto.

A reportagem do Cosmo conta que ele foi encontrado caído em casa, com uma bíblia aberta sobre a mesa. Perguntado, disse que cometeu a insanidade “porque Deus quis”. Seja lá qual for a justificativa, a mutilação é um problema que já ganhou análise do The New York Times: adolescentes com distúrbios graves de comportamento tentam controlar o próprio corpo, já que não é possível controlar sentimentos. Mas, é inegável que a fé tem a capacidade de potencializar alguns gestos radicais. Por isso, queria mesmo é saber qual a religião praticada pelo rapaz e ouvir uma análise do líder espiritual que o acompanhava. Só pra checar o nível de pressão ao qual ele estava submetido em nome de Deus.

PS: No caso dos jovens que sofrem de cutting ou transtorno da automutilação clássico, deixo registro de que é possível procurar ajuda no Instituto de Psiquiatria (IPq) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP). Em maio, o órgão divulgou que triava pessoas que apresentem transtorno de automutilação: qualquer comportamento intencional envolvendo agressão direta ao próprio corpo, sem objetivo consciente de suicídio. Telefone (0XX11) 3069-6975.

Anúncios

Bolsa, bombeiros e mulheres suicidas

Em um mesmo instante da tarde de quinta-feira, 2 de setembro, operadores da bolsa de valores e uma equipe do Corpo de Bombeiros precisaram mostrar sangue frio. No pregão, os índices caíam significativamente. Na Rua Oscar Freire, uma pessoa se ameaçava jogar de uma janela do 10º andar. O suicídio e as perdas de investimento foram apenas coincidências. É o que imagino e o que mostram as pesquisas.

Na verdade, não sei o resultado de nenhuma das duas histórias. Ninguém sabe até onde vai a crise da economia americana. E eu não fiquei esperando para saber se o suicida (ou a) consumou o ato. O fato, é que o desespero pode sim estar relacionado ao dinheiro, mas a loucura, o amor e outras “doenças da alma” são motivos mais comuns para aqueles que escolher apagar a luz. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 3 mil pessoas por dia cometem suicídio. Isso significa que a cada 30 segundos uma pessoa se mata em algum lugar do globo.

Uma pesquisa do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina (FM) da USP divulgada recentemente aponta que cerca de 3% dos paulistantos já tentou o suicídio. O médico psiquiatra Bruno Mendonça Coêlho, autor do estudo, constatou que a depressão, e principalmente a distimia, associada ao abuso ou dependência do álcool, aumenta a ocorrência de idéias, planos e tentativas de suicídio. Entretanto, 90% dos suicídios estão relacionados a doenças psiquiátricas.

O médico informa que no Brasil a taxa de suicídio é de 4,5 para cada 100 mil habitantes, anualmente. A tendência é de crescimento e apresenta evolução de 21% nos últimos 20 anos, entre 1980 e 2000. Um ponto bastante triste, entre tantos outros, é constatação do estudo de que as mulheres tentam o suicídio quase três vezes que os homens.

Enquanto isso, como já disso outras vezes, a imprensa continua a noticiar alguns desses casos. Mas não li em nenhum lugar as considerações do professor. Quanto mais a sociedade souber sobre isso, mais vai poder – com clínicas e tratamento – ajudar quem leva essas idéias no coração. Principalmente aquelas que se travam diante do absurdo do ato, descem da janela com ajuda dos bombeiros e seguem vivos se matando um pouco a cada dia.

(* Com informações da Agência USP)

Segmentação evangélica chega aos games

Quem já tocou Guitar Hero sabe que são muitos os bichos estranhos e chifrudos no cenário do game. Sem falar na letra das músicas, nada cristãs. Por isso, já há no exterior opção livre de heresia para quem deseja ser astro do rock, ainda que seja apena do rock gospel. Um fabricante já anuncia o produto Guitar Praise com set list que inclui White Cross, Skillet e Jonah33.

Mas a lista de “jogos bíblicos” ou jogos evangélicos é bem mais extensa, com possibilidade de jogar online. Um dos sites é o http://www.biblical.com.br/biblical/, que abusa do flash. É possível comandar cordeiros que fogem de lobos, preencher lacunas para formar textos bíblicos ou adivinhar a ordem dos mandamentos.

Isabella Nardoni ganha até ‘músicas inéditas’

Já faz mais de um mês e a morte de Isabella Nardoni segue como assunto de destaque na imprensa. O tema sobrevive em meio aos erros e acertos da polícia, aos atropelos da imprensa e à difusa idéia de ética que rege nossa vida em sociedade. Sem precisar garimpar muito, há uma dezena de homenagens à menina pela web. Um exemplo, a música abaixo, que Elisane Alves da Silveira anuncia como inédita.
.

Na mesma linha, o internauta Thiago Gracino posta música e pede manifestações inteligentes sobre o caso:

Quem quiser ver mais, pode clicar na música da “Mairinha Compositora” e seguir no You Tube navegando. Se achar algo que deva ser citado por aqui, post nos comentários a dica.

Deus está no forró

Para eles, Deus está no forró. Os catolicos tradicionais e praticantes de outras denominações acham ridículo. Para quem esteve no encontro ou comprou o CD do pastor, a experiência religiosa teve algum sentido. No You Tube, dá para perceber:

Quem usa o óculos das práticas tradicionais não consegue encontrar ‘verdade’ nessas práticas pentecostais, assim como também não a encontra nos ‘hinos’ de Padre Marcelo. A resposta mais simples que podemos dar para essas incompreensões ou incompatibilidades muitas vezes raivosas é que o mundo contemporâneo dá preferência para caminhos pessoais para o encontro com o sagrado. Cada um na sua e todo mundo curtindo. Difícil para quem acredita ser dono de uma religião verdadeira e única fundada por Deus compreender essas liberdades…

Em tempo, ‘Cego de Jericó’ também é título de uma das canções cantadas pelo Rodox, aquele ex-Raimundos. O som é interessante, versão acústica para a MTV:

Jesus e Satã se enfrentam em jogo de luta

Bible fight
Daquelas coisas que eu não imaginava viver para experimentar: seis personagens bíblicos se enfrentam em um jogo no estilo Mortal Kombat e Street fighter. No Bible fight, que você pode jogar online, sem necessidade de instalar na máquina, Eva, Noé, Moisés, Maria, Satã e Jesus se enfrentam em rodadas de muita pancadaria. Cada início de sesão é animada pelo som de canto polifônico (talvez o Miserere). Inacreditável… Só vendo para crer.

Eva tem entre seus poderes lançar as maças, chamar Adão para golpear o adversário ou lançar a serpente contra o oponente. Noé, por sua vez, pode invocar um dilúvio ou lançar a pomba contra seu adversário. E enquanto o próprio demônio se transforma em um cão de duas cabeças e lança fogo com seu tridente, Jesus tem o poder de lançar pães e peixes sobre seu adversário ou acertá-lo com a cruz. O jogo pode ser disputado em vários cenários: calvário, éden, mar vermelho… e a surpresa fica para os jogadores experientes: um sétimo personagem permanece bloqueado e provavelmente só pode ser utilizado por quem comprovar experiência. Até no jogo Deus parece ser inacessível para os simples mortais.

A polêmica da defesa da vida

Na semana em que o STF debate a constitucionalidade das pesquisas com as células-tronco, chovem artigos na imprensa sobre estado laico, influência da religião nas decisões legais e afins. Abaixo, deixo uma matéria da Folha sobre o voto do ministro Carlos Ayres Britto e reproduzo um artigo para serem estudados. Primeiro deixo o artigo do professor Francisco Borba Ribeiro Neto, sociólogo e biólogo, coordenador de Projetos do Núcleo Fé e Cultura da PUC-SP, que defende na Folha de hoje a capcidade de a Igreja refletir e influenciar positivamente na defesa da vida. Há que se lembrar que a PUC é a Pontifícia Universidade Católica. Seguem:

A igreja e a defesa da vida
FRANCISCO BORBA RIBEIRO NETO

Iniciativas sociais e políticas de governo devem acolher quem sofre e permitir que opte pela vida, desde o início e em qualquer circunstância

SEGUNDO MARCELO Leite (“CNBB vai às compras”, Mais!, 10/2/08), no texto-base da Campanha da Fraternidade (CF) deste ano, sobre a defesa da vida, a igreja seleciona elementos do discurso científico e acrescenta-lhes seus próprios dogmas. Caberia aqui parafrasear uma frase citada pelo próprio Marcelo Leite: “Os meios de comunicação criam uma paródia da ciência para uso próprio. Aí eles atacam essa paródia como se estivessem criticando a ciência” (em “Má ciência e mau jornalismo”, 18/9/05). Substitua-se ciência por Igreja Católica, e a frase também será válida.
Leia o artigo completo