Máfia das gravatas

gravatasNão sou advogado nem pertenço ao ‘mundo corporativo’. Sou trabalhador das letras e por isso só eventualmente preciso usar terno e gravata. Tenho três ternos e algumas gravatas, todos básicos, para me salvar em ocasiões especiais. O papel de noivo me fez conhecer novos horizontes no mundo dos ‘costumes’ e, como consequência, me levou à máfia das gravatas.

Se os ternos podem custar até milhares de reais, seus acessórios não poderiam ficar desvalorizados. Entretanto, é impossível nos shoppings de São Paulo encontrar uma gravata de qualidade e não pagar os tais R$ 140. É quase tabelado… Alguns poderão achar que escrevo esse texto com um escorpião inquieto no bolso. Nada disso. Só julguei ser realmente espantoso o preço cartelizado. Meu terno para o casamento não custou os tais milhares, mas das gravatas não consegui fugir. No fim das contas, admiti ser melhor pagar caro em uma peça que valoriza todo o conjunto do que apostar em uma que derrubaria até os mais caro dos costumes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s