A essência do encontro de noivos

IgrejaSagradoCoracao_CamposEliseos_230820091066No último fim de semana, participei de um encontro de noivos no Santuário do Sagrado Coração de Jesus, nos Campos Elíseos, região Central de São Paulo. Uma dezena de casais dedicados se esmerou para, voluntariamente, preparar quase 80 jovens para o matrimônio. Todos muito simpáticos e para os quais, individualmente, só tenho elogios. Mas…

…não posso deixar de fazer uma análise crítica da forma como nossa Igreja Católica desenvolve esta pastoral. O encontro começou às 8h e terminou quase 20h do domingo. Como eu mesmo disse para o padre salesiano responsável pelo santuário: “angu de um dia não engorda cachorro magro”. Por mais interessantes que fossem as atividades, ao menos para mim, todo esse tempo de palestra e atividades receptivas se tornaram cansativas. Bem, os organizadores dizem que antes (como em outras paróquias ainda é) o encontro durava dois dias inteiros.

De forma geral, o conteúdo das palestras está a cargo da experiência de cada um dos casais organizadores. Isso até é bom porque assim assuntos como sexo, contraceptivos e planejamento familiar são tratados sem a influência das teorias limitadoras da hierarquia católica. Mas, como efeito colateral, a ausência de interferência dos padres acaba cobrando um preço: às vezes, o conteúdo carece de um olhar mais teológico ou pastoral.

IgrejaSagradoCoracao_CamposEliseos_230820091069Impossível falar de métodos contraceptivos sem dar a explicação correta sobre como e porque a igreja só aceita a tabelinha como forma de evitar filhos. Também difícil falar de planejamento econômico sem lembrar do dízimo ou da importância de ter em mente que produzimos riquezas para nós e para a comunidade.

Repito, cada um dos palestrantes passou ótimas informações. Mas se esses leigos católicos dedicados poderiam ir ainda mais longe com o apoio direto e dedicado da nossa Igreja. Basta ver que o próprio pároco disse: ele está pensando em produzir uma espécie de novena ou outra forma de formação dos noivos, algo que trouxesse para dentro da realidade do jovem casal uma dimensão espiritual do casamento. Preparação de longo prazo, elementos de prece e reflexão nos tumultuados meses que antecedem a cerimônia. Isso seria bom.

Mas, atenção. Longe de mim cobrar foco exclusivo na vida místico-religiosa do casal, pois o casamento é muito concreto e antes dele cabem muitos conselhos práticos e alguns deles foram dados nas palestras. Mas há que se pensar em como oferecer uma chance de fazer desse sacramento como a grande chance de transformar o amor entre homem e mulher em sinal visível do amor de Deus pela sociedade e pela Igreja. Quais as leituras bíblicas, quais os santos e pensadores que de alguma forma dão pistas para a vida a dois? Não há nenhum? Como aproveitar o curso obrigatório para mostrar aos casais que a vida de fé é essencial ao casamento? Eu começaria valorizando o testemunho de cada um dos casais leigos, gente que teve que se superar e segurar firme na religiosidade para superar brigas e desencontros.

IgrejaSagradoCoracao_CamposEliseos_230820091067Por fim, voltei a refletir sobre o viés espiritual e o social da cerimônia ao fim do curso. Muitos criticam a chamada indústria do casamento. Mas, há quem a valorize. A missa que encerrou o encontro de noivos teve a participação de um coral e orquestra. Estavam lá para divulgar seu trabalho para o grupo de noivos. Liturgicamente, atropelaram a cerimônia: toque de trombeta e marcha nupcial para entrada da missa, ave-maria logo após comunhão… Sem falar nas três músicas ‘demo’ que tocaram e cantaram ao fim da celebração, enquanto uma platéia de noivos cansados desejava apenas pegar seu certificado de participação no curso e seguir para casa.

Tudo bem, muitos deveriam estar ali preocupados também com a pompa e a circunstância da celebração vindoura. São sonhos… Mas cabe a Igreja colocar seus fiéis dentro da realidade e não incentivar, em plena Cracolândia, exibição social em vez de sobriedade e compromisso com um projeto de comunidade de fé libertadora. Meu casamento é em outubro, posso até cometer parte dessa ostentação desnecessária e tentei fugir dela ao máximo, mas tenho plena consciência de que fui alertado e que esse não é o testemunho de fé que o Pai espera de mim.

Anúncios

10 Respostas para “A essência do encontro de noivos

  1. Este tema da uma reflexão profunda, que sem dúvidas escreveríamos vários livros e não esgotaríamos o asunto.
    A igreja e santa e pecadora, divina e humana, porém, nós catolicos, demos tendência a caminhar no lado humana da igreja.
    Já participei de preparação para encontros de noivos, e sei o quanto é difícil passar para os casais certos conceitos de nossa religião.
    A biblia é o nosso ponto de referência, para buscarmos a nossa divindade, cabe a igreja com seus teólogos mostrar o caminho para ser um verdadeiro cristão. Enquanto isto não acontece,vamos dando a César o que e de César.

  2. ” Gostaria de lembrar, que todas as pessoas, casais que colaboram nos encontros de noivos, também tem outras atividades, como emprego, filhos, contas p/ pagar e também, muitas vezes estão tão ou mais cansados do que os noivos participantes do encontros, pessoas que se doam ajudando a Igreja e aqueles que “querem” fazer parte dela através da preparação desses casais, que muitas vezes criticam, mas após o casamento nunca procura colaborar também. É muito importante lembra e destacar, essas pessoas que se dedicam as pastorais, qualquer pastoral, são pessoas como qualquer outra, que trabalha, pega ônibus, tem filhos e muitas atividades em seus dias, e que, apesar de todos os compromissos em suasvida pessoal, ainda arruma tempo para se dedicar aos outros irmãos, e por isso as vezes esta despreparado, não porque não gostaria, mas por falta de tempo… Antes de conbrar dos outros, temos que nos colocar no lugar do outro e pensar… __”Será que eu assumiria esta responsabilidade?” __”Será que daria conta do recado?” __”Sera que teria tempo para me preparar melhor?”
    “Que Deus abençoe todos aqueles que se dispõem a ajudar, participar, e se entregar ao trabalho da Igreja/Deus.”

  3. rosa maria de souza demarchi

    SOU uma que procuro dedicar um pouco do meu tempo para acrescentar a palavra de Deus nesses encontro e fico triste de ver pessoas acomodadas no seu mundinho que critica muito e nada fazem. É preciso tomarmos conciencia de que a perfeição das andorinhas está na união que as unem.Opadres fazem muitos diante do abismo que há entre os que se dizem catolicos.

  4. Débora Aparecida da Silva

    Debora/ Divinópolis MG
    faço o curso de noivo e nos adoramos,gostamos tanto que nos começamos a fazer em março deste ano e vamos dar continuidade nele…
    Acho que o curso ajuda muito e nos dar a oportunidade de falar sobre assuntos q muitas das vezes nao temos o habitos de conversamos…
    De verdade sou testemunha do quanto o encontro de noivos nos ajudou e tem nos ajudado….

  5. Ana Cristina Ferreira da Silva

    antes de criticar , vamos ajudar os casais que fazem parte da pastoral familiar, a construir uma sociedade melhor, oferecendo nosso tempo na nossa paróquia. Ana cristina – 19/10/2011

  6. gostei da análise feita com sinceridade. É disso que a Igreja precisa.

  7. O importante realmente é entender que o casamento deve ser para sempre, Sacramento celebrado pelo próprio casal. A família deve ser preservada, e não banalizada como a mídia coloca. Para as pessoas que preparam o curso (que na verdade não é nenhum curso, pois se realmente fosse teria muitas horas mais) o meu respeito pelo empenho e dedicação. Tenho certeza que fazem o seu melhor.
    Agora se queremos mudar alguma coisa temos que participar mais e conhecer melhor a nossa Igreja, normalmente as criticas são feitas por pessoas que nada fazem de concreto e não conhecem a sua comunidade paroquial.

  8. Olá, meus irmãos. Sou um padre católico e estou preparando um roteiro diferente para poder qualificar melhor os agentes de pastoral para esta difícil missão de tornar a família cristã mais unida no amor de Cristo.
    Para mim o que falta nos encontros é aquela mística da participação do casal na vida da Igreja. A doutrina da Igreja é rica e, o que nós padres e teólogos necessitam é ter um pouco mais de coragem de dedicarmos mais em ouvirmos os casais e, com fundamentação bíblica e teológica apontar os caminhos de conversão e participação, numa ótica de comunhão. Quando há encontro do casal com a Pessoa de Jesus, tudo muda de figura. No roteiro que está sendo preparado a metodologia é em forma de questionamentos, sem correria. 1. A escolha do cônjuge; 2. O amor e o respeito como base do casamento. 3. Harmonia conjugal, 4. Verdadeiro sentido do Matrimônio em relação a Cristo e a Igreja, 5. Sexualidade. 6. Espiritualidade. Tudo realizado, tendo como pano de fundo a construção de uma casa. “Se o Senhor não edifica a casa, em vão trabalharão os que nela edificam…” Sl 127.

  9. selma cristina silva sauzen

    Faço parte da PF ,fazemos a preparação para noivos e casais que ja vivem juntos,e vejo que nos leigos doamos nosso tempo para Deus para o melhor possível, mas ninguem é Cristo para não errar ,por isso que somos humanos e estamos aqui para aprender cada vez mais com os nossos próprios erros e confiante em Deus para darmos continuidade ao nosso trabalho não deixando de procurar cada vez mais procurarmos concertarmos o nosso erro.Em nosso curso não vejo casais cansados vejo que o tempo é pouco para tanto assunto e experiência de vida.

  10. selma cristina silva sauzen

    Ok

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s