Pombos: personagem e praga urbana

Pombos repousam sobre estátuas na entrada da Catedral da Sé, SP

Pombos repousam sobre estátuas na entrada da Catedral da Sé, SP

Ninguém sabe quantos eles são. Como na imagem acima, às vezes acredito que exista um para cada paulistano. Certo é que eles são pragas urbanas. Basta circular pelo Centro para perceber. São muitas as iniciativas de restauro de prédios e monumentos históricos em andamento (a Votorantim adotou 30 deles), mas não há notícias de iniciativa para combate ao personagem símbolo da paz que, no entanto, só faz levar doenças e sujeira para a cidade. Existe algo no ‘ecossistema urbano’ que impeça um efetivo controle dos pombos na cidade? Em minha rápida pesquisa, o CCZ não aponta nada contra os repelentes, contraceptivos ou predadores. Vou escrever para candidatos a vereador. Quem sabe um deles faz o desabafo em 30 segundos no horário eleitoral?

PS: Mas, infelizmente, é preciso admitir que a grande ameaça ao patrimônio histórico da cidade é o próprio cidadão. Basta dar uma passada pelo site do projeto de restauro das obras e ver que sobram histórias de tentativas ou furtos consumados… Sem falar no vandalismo constante.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s